A primeira consulta é sempre especial para a criança, para os pais e também para o médico. Cada criança é única, diferente. É através de uma relação duradoura que o Pediatra consegue conhecer melhor a criança.

E esta relação triangular “Criança – Pais – Pediatra” deve perdurar por muitos anos; estabelece-se uma relação empática de confiança, estima, amizade e respeito, que vai aumentando a cada dia. Os pais vêem no Pediatra um amigo e um conselheiro seguro e disponível nas horas de ansiedade e de doença. A criança será sempre a figura mais importante e terá no Pediatra um defensor da sua saúde e do seu bem-estar. O Pediatra sente-se realizado por poder contribuir para a evolução daquela família pelo caminho certo; deve saber ouvir e terá como grande objetivo contribuir para a felicidade daquela família.

Além do foco em tranquilização dos novos pais, a primeira consulta foca, em geral, em orientacões gerais e início do controle de peso. É especial para os pais porque é o tempo de esclarecer muitas dúvidas, de resolver muita ansiedade, de começar a estabelecer uma relação de confiança e proximidade com o Pediatra. Já o bebê deve sentir os pais ficarem mais calmos, confiantes e esclarecidos. E finalmente a primeira consulta é especial para o Pediatra porque, além de estar conhecendo uma nova vida, irá sentir que pode contribuir efetivamente para o desenvolvimento e crescimento da criança.

O pediatra cita uma série de assuntos que fazem parte dessas primeiras visitas ao consultório. Devem ser abordados alguns assuntos como aleitamento materno, cólicas, icterícia, regurgitacões, vômitos, gases, soluços, características de fezes, higiene corporal, banho de sol, vacinas, quantidade de roupas, controle de temperatura, além de temas de interesse particular para cada criança.

Prepare a 1.ª consulta do seu Bebê – leve as dúvidas escritas. Solicite um esclarecimento detalhado de todos os problemas e a resolução das suas ansiedades. Confie no seu Pediatra e veja nele uma ajuda importante para a felicidade do seu filho. E para a sua também.

Sobre o autor deste texto

Comments are closed.